Se o seu silêncio falasse, o que ele diria?




Será que há em você uma vontade de gritar para se acalmar e jogar toda a raiva contida dentro de você por todo esse tempo engolindo sapos? Será que vale realmente falar tudo o que você sente para aquela pessoa que merece ouvir poucas e boas de sua parte por ter te magoado e te deixado triste?

Às vezes, nosso silêncio por si só já transmite muitas mensagens para o outro, mas as pessoas que geralmente guardam para si suas dores quotidianas tendem a se comprimir tanto que acabam cedendo espaço para uma tristeza profunda, uma amargura e até mesmo para que a depressão entre em sua vida quando ao invés de se exprimirem, jogam sobre si uma energia de apatia com relação ao que é vivido.

Você sempre foi dessas pessoas que se tivessem coragem falaria tudo o que está engasgado ou só de uns tempos para cá resolveu mudar seu comportamento, ficar mais refinado, por achar que é mais educado e mais aceitável conviver com pessoas menos explosivas e mais silenciosas quando há algum problema no ar?

Se você tem essas atitudes acima, se prepare para soltar o verbo, soltar a língua e com ela toda a mágoa e ressentimento guardado, pois caso contrário, você vai se sentir pior do que ser chamado de uma pessoa mal educada. Sim, pois você vai acabar aumentando em si uma dor emocional tão grande que pode até se transformar em uma doença grave no seu corpo. Está interessado em continuar a manter a aparência ou prefere viver bem consigo mesmo e ser aceito tal como você é de fato?

Eu meus ciclos sociais, eu escolho as pessoas mais verdadeiras consigo mesmas para serem meus amigos, pois realmente é muito bom estar ao lado de pessoas transparentes  que demonstram quando discordam e não gostam de algo. É muito chato e artificial estar ao lado de pessoas que tentam ser agradáveis o tempo todo! É muito ruim esse jogo de fingimento, de que tudo está bem quando você tem a sensibilidade de captar que nada está realmente tão bem assim e a única pessoa a ser enganada é quem quer mentir para si mesmo, não é?

Todos nós passamos por problemas, todos nós temos nossos altos e baixos de humor, de vontade de estar ao lado das pessoas, de fazer ou não alguma coisa. Então, por que não começarmos conosco mesmo essa onda de sinceridade e assumir nossos momentos mais ou menos ou até mesmo nossas fossas? Uma coisa você pode ter certeza: ao nos abrir para aceitarmos estes momentos, nós criamos ao nosso redor um ambiente muito mais aberto e ameno para que os outros nos compreendam e nos vejam como seres de carne e osso, que passam por dias de sol e dias nublados.

O silêncio é um grande amigo para as reflexões, mas pode sufocar relações, distanciar pessoas e nos desconectar da realidade da vida social, fazendo-nos acreditar que nosso mundinho é realmente pesado demais para ser vivido e assim, alimentamos um grande dramalhão carregado em nossas costas e na expressão do nosso rosto...
Ao darmos uma importância exagerada àquilo que não aceitamos muito bem como verdade, criamos um muro de isolamento, achando que assim nos protegemos dos sofrimentos da vida. Isso tudo nada mais faz do que nos transformar em pessoas caladas, apáticas, melancólicas e serenas demais para serem verdadeiras e nutrir relacionamentos gostosos com os outros. Esta atitude é apenas um falso equilíbrio que acaba, de uma maneira ou de outra, transparecendo em nossa saúde física ou mental para os outros, mesmo com todos os nossos esforços para disfarçar isso.

Será que engolir sapos não dá dor de estômago? Não mexe com nossas pressão arterial? Não faz com que achemos que a vida perde um pouco de seu sentido se não podemos exprimir o que desejamos? Será que vale mesmo à pena o teatrinho em torno de um silêncio de quem cala na hora em que precisava aproveitar o momento para soltar não só seus sapos como seus grilos? 

Comentários

  1. Muito bom seu texto, Bruna...Infelizmente é o que vêm acontecendo comigo. Acho que tá na hora de rever meu comportamento.

    ResponderExcluir
  2. Adorei. Muito bom para refletir.

    www.ociopreenchido.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Que bom que você consegue ter clareza de que é possível mudar o que nos incomoda no nosso comportamento, basta termos clareza disto e escolhermos o momento certo.

    ResponderExcluir
  4. Oi Letícia, que bom que você gostou da reflexão que fez! Também gostei muito do seu blog!

    ResponderExcluir
  5. Tem um estudo sobre como o corpo fala aquilo que n´ós pensamos e cremos sobre a vida que diz que pessoas que tem "papadas" e pessoas que tem barriga muito grande pode indicar que estejam passando por um momento em que estão engolindo muitos sapos.... Pessoas que se preocupam demais com o julgamento dos outros e não têm coragem de dizer o que estão sentindo. Então, já fica uma dica: Se vc tem aquela papinha indesejada ou "pochete" desagradável, talvez possa parar para analisar se vc consegue se esvaziar de si mesma ou se tem guardado aquilo que não é seu, ao mesmo tempo com equilíbrio. Engolir tudo é fácil ser explosivo também. O difícil mesmo é ser equilibrado! Abraço, e parabéns pelo texto.
    Nanda Peris.

    ResponderExcluir
  6. Oi Fernanda, muito bem lembradas as características físicas de quem guarda em silêncio os seus sapos, a Metafísica aborda também esse tema. Obrigada!

    ResponderExcluir
  7. Oi Bruna,

    Ai que ótimo seu artigo, assim como todos os outros. É tudo que estou precisando assimilar para viver melhor.

    Bjs

    ResponderExcluir
  8. OI Mariana, obrigada pelo seu comentário! Faça de sua vida o que você deseja e seja muito feliz! Grande abraço :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Intransigência, um grande mal para os relacionamentos

Quando a cabeça não pensa, o corpo padece mesmo!

Por que as pessoas fogem de relacionamentos mais sérios?