Fofocas, tem como nos livrarmos delas?

Tem gente que fica em fúria, magoa-se e perde tempo pensando em como não ser alvo de fofocas, mas será que somos capazes de fugir das fofocas? Fazer uma fofoca corresponde a comenta sobre alguém, sem que este alguém esteja presente e isso todo mundo já experimentou na vida. Além de comentar, geralmente também expomos nossas opiniões sobre os acontecimentos da vida da pessoa-tema da conversa e podemos ser interpretados como fofoqueiros por isso.


Quem nunca teve curiosidade sobre a vida alheia? Quem nunca teve uma opinião a respeito das escolhas feitas pelos outros, mesmo que nunca a tenha falado para a pessoa? Ainda há pessoas que acham que interagir bem num grupo é estar sempre se atualizando sobre as últimas notícias da vida de alguém escolhido para ser alvo das fofocas. Mas precisamos mesmo ter sempre em mente o que se passa na vida alheia? Será que assim não estamos nos deixando de lado para dar maior ênfase à vida dos outros? Será que não temos assuntos interessantes sobre nossas próprias vidas para compartilharmos com quem está ao nosso redor?


Um grande ponto importante nisso tudo é entendermos que quem fica sempre na posição de informante das últimas notícias sobre as outras pessoas tenta se camuflar atrás do que fica exposto sobre os outros querendo passar despercebido por aqueles com quem ele compoartilha suas fofocas, ou seja, quem faz fofocas busca uma maneira de não ser alvo da atenção dos outros e, além disso, pode ter uma autoestima muito baixa por não dar importância às suas conquistas diárias.


Para conviver bem com os outros é preciso fazer parte de fofocas? Certamente não. Podemos pertencer a um grupo e de uma maneira delicada sermos neutros com relação a esse comportamento que não nos agrada. Podemos simplesmente nos retirar do local, mudar o assunto para algo que seja interessante para todos e até mesmo nos desligar nesse momento para não absorver esse tipo de assunto que não nos interessa.


Sobre sermos alvos de fofocas, certamente isso não podemos controlar, por mais que queiramos ser pessoas discretas e silenciosas a respeito de nossa vida íntima. Sempre haverá alguém mais interessado sobre o que ocorre no quintal do vizinho, enquanto no seu é preciso podar as árvores, sempre haverá pessoas que podem se sentir incomodadas com a sua capacidade de crescer e alcançar seus objetivos, de assumir a sua maneira única de ser e de pensar. Mas não é por existir esse tipo de pessoa que você precisa se reprimir, ter vergonha de quem realmente você é e quer para a sua vida. Além disso, não podemos nos esquecer que, em muitos casos, que faz a fofoca é uma pessoa que sobre de recalque, pois não tem coragem de assumir suas escolhas e colocar para fora quem ela realmente gostaria de ser.


Sendo assim, você ainda vai ficar se incomodando com o que os outros estão falando de você? Ainda vai ficar desperdiçando seu precioso tempo acompanhando as últimas notícias e deixando de fazer o que você realmente quer fazer para si mesmo?

Comentários

  1. OI, Bruna, obrigada por ter ido no meu blog e pelo elogio. Me sinto lisonjeada, ainda mais vindo de ti !

    Olha, eu detesto fofoca. Não me importo com a vida alheia e quando escuto algo que pareça se fofoca, eu mudo de assunto. Porque uma coisa é você dar notícias sobre alguém que tu gosta(ou pedir notícias) e outra coisa, é ouvir alguém fazer um relatório sobre a vida alheia.

    Eu sequer gosto de novela, notícias de artista essas coisas. Passo até por "desinformada" por que nunca sei nada sobre novelas e personagens.

    Infelizmente, todos somos vítimas de fofocas e também de difamações(isso é ainda pior) pois existem pessoas que por recalque (como você mesma disse),inveja ou falta do que fazer, resolve sair espalhando boatos e intrigas. Acredita quem quer, certo ? E tem uma hora, que a verdade chega à tona e o fofoqueiro é desmascarado e perde a credibilidade !

    Beijos !

    ResponderExcluir
  2. Ai, menina, vim aqui ver se tinha post novo e ao reler meu comentário vi dois erros:uma vírgula errada aqui "...e outra coisa, é ouvir alguém fazer um relatório sobre a vida alheia." e escrevi o verbo errado aqui "...inveja ou falta do que fazer, resolve sair espalhando boatos e intrigas." seria certo escrever "resolvem". Detesto escrever errado, deve ter sido mesmo falta de atenção, rs !

    ResponderExcluir
  3. Oi Hanny, tudo bem! Adorei o seu comentário mesmo assim! Ele ficou muito bom! Sobre seu blog, ele é realmente uma graça!

    ResponderExcluir
  4. Professora , amei esse post. As vezes eu me flagro muito incomodada com o que os outros dizem de mim , das minhas escolhas, do meu jeito .

    Mas eu lembro rapidamente que é somente assim que eu sou feliz , o "pré-conceito" (é , pois na maioria das vezes me criticam pela aparência ,sem ao menos me conhecer)dos outros não é forte o suficiente pra me fazer ser quem eu não sou. Ainda bem ! Bjs !

    ResponderExcluir
  5. Oi Dandara, você tem toda a razão! Isso mostra o quanto você se respeita e banca quem você realmente quer ser! Parabéns! Preconceito não está com nada mesmo. Tenho certeza de que as pessoas ao te conhecerem de verdade, isto se você permitir que aconteça vão gostar muito dessa pessoa doce e especial! Beijinhos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Intransigência, um grande mal para os relacionamentos

Quando a cabeça não pensa, o corpo padece mesmo!

Como anda a educação dos jovens? Totem e Tabu na família brasileira