Amor de Carnaval pode dar certo?

Todo mundo já se perguntou isso, pelo menos uma vez, pelo menos quando passou por um, não é verdade?

Mas será que há uma fórmula mágica para que os relacionamentos aconteçam e o Carnaval fica fora dessa receita? Eu conheço tantas pessoas que se conheceram no samba e viraram casais felizes, gente que se conhece da maneira mais inusitada possível e estão juntos há mais de 30 anos, por que não se permitir acreditar que é possível conhecer alguém no meio da folia e começar ali mesmo uma história de amor?

O problema está em nossa cabeça que coloca “não” onde não é para se colocar e assim, fechamos portas de oportunidades de relacionamentos felizes, sem nem mesmo tentarmos ver se o outro está interessado em ter um relacionamento tranquilo com você.

Já parou para pensar nisso? Que você rotula pessoas antes mesmo de conhecê-las? Que sempre cria uma visão negativa e coloca uma impossibilidade antes mesmo de conhecer a realidade de fato? Será que no meio de um bloco só há pessoas que querem curtir o batuque e não tem vontade de ter ao lado alguém que as ame?

Será que todo mundo que vai para a noitada é gente que não presta? E você, está ali fazendo o quê? Também não presta? Será que não foi criado dentro de sua cabeça um mundo tão fechado para o amor que não te deixa ver que ele pode acontecer de várias maneiras diferentes e, além disso, você pode conhecer um parceiro também de várias maneiras diferentes? Então, por que se fechar assim? Por que só achar que só tem gente que não quer nada sério, que não quer ter comprometimento com ninguém?

Você sabia que a maioria dos homens que saem todo fim de semana, assim como as mulheres, são pessoas que estão em busca de diversão e também podem estar abertos ao amor? Será que não existe ninguém realmente livre e disponível para amar? Claro que há e parece que virou um jogo de reclamação entre os homens e mulheres que não se encontram. Um reclama do outro porque as mulheres mudaram... e as mulheres, por sua vez, também reclamam que os homens não querem nada sério... mas não é bem assim, tudo isso é puro pensamento negativo e pré-concebido sobre o outro.

Jogue isso fora e seja ousado para experimentar se entregar a um amor que possa dar certo, independente de como ele começou, de como vocês se conheceram, pois se é amor, certamente é válido vivenciá-lo!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Intransigência, um grande mal para os relacionamentos

Quando a cabeça não pensa, o corpo padece mesmo!

Como anda a educação dos jovens? Totem e Tabu na família brasileira