terça-feira, 13 de junho de 2017

Solidão e Silêncio para Refletir

    Já parou para pensar em como são consideradas estranhas aquelas pessoas que ficam sozinhas, trancadas em seus quartos ou bibliotecas lendo livros ou preferem ficar em casa do que curtir uma noite de eventos? Estar sozinho é visto como negativo em nossa sociedade. Mas será que realmente isso é ruim?

    Não estamos tratando aqui de fobias sociais, quadro grave de ansiedade no qual o indivíduo demonstra medo de expor-se a outras pessoas e que tem como consequência o afastamento social. Estou falando de uma necessidade que muitas pessoas sentem de ficarem sós um pouquinho, nem que seja para ver um filme em silêncio por duas horas.

    Estar bem consigo mesmo às vezes requer ficar em silêncio, para fugir da barulheira lá fora. Estar sozinho nos permite ficar numa postura que gostamos, nos permite parar um pouco para pensar em quais atitudes tomamos devido ao contato com os outros. E também em quais atitudes realmente queremos tomar para satisfazer nossa alma.

    Silenciar também nos faz ouvir nossos pensamentos sobre o que se passa em nossa vida. Permite encontrar a paz de estar dentro de nós e ser aquele nosso companheiro que nunca pode se sentir abandonado.

    Ter esse momento de estar sozinho e em silêncio por um tempo lhe permite fazer um grande balanço do que você realmente quer continuar a ser e a ter quando voltar ao mundo do contato com o outro e dos diálogos.

    Estar sozinho também pode ser uma maneira de ir fundo num problema. Assim, você pode resolvê-lo internamente, se limpar das dores, das mágoas, dos medos e de tudo o que não quer mais que fique dentro de você. Pode ser aquele momento de profundidade da alma e que depois dele, você toma uma atitude de "basta mesmo e quebra seus padrões de comportamento.

    Algumas pessoas ficam realmente aterrorizadas só de pensar em ter que ficar sozinhas. Mas será que é tão ruim mesmo curtir a sua própria companhia? Se você nunca experimentou desafiar o medo de estar sozinho por um tempo, experimente por um dia ficar sem atender telefones nem ler emails. Será que você não vai descobrir nada de prazeroso nisso?

Silêncio: chave para encontrar a sabedoria


    No Xamanismo são muito recorrentes os rituais em que as pessoas ficam um tempo reclusas na natureza para encontrar uma ascensão de seus pensamentos e atitudes dentro de si mesmas. Para os xamãs, o silêncio é visto como chave para se encontrar a sabedoria interna, aquela que vem de uma conexão direta com seus mentores espirituais.


    Silenciar nos permite ouvir nossos medos e anseios, nossas frustrações e nossas boas lembranças e sensações vividas - algo que nem mesmo com muitas palavras conseguiríamos descrever para o outro. Silenciar também pode ser uma grande fonte inspiradora para que novas ideias brotem em você. Estar sozinho não é se excluir do mundo. È ter uma visão mais abrangente do mundo que existe dentro de nós e de nossa conexão com o mundo externo ao nosso corpo.



Artigo publicado na Revista Personare:
http://www.personare.com.br/solidao-e-silencio-para-refletir-m370

domingo, 11 de junho de 2017

Você criou uma prisão dentro de si mesmo?

   
    Mesmo com todas as informações a nosso dispor, como livros, terapias, cursos e tudo mais que temos à volta para nos ajudar a "andar na linha" que escolhemos seguir em direção à felicidade, nós falhamos e cometemos muitos erros - que por vezes se repetem e nem mesmo tomamos consciência deles. Não é raro precisarmos de alguém para nos abrir os olhos e ajudar a entender o nosso padrão de repetição.

    Muitas pessoas tendem a viver círculos viciosos na vida, ou seja, aqueles mesmos hábitos que, de uma maneira inconsciente, sinalizam uma tentativa de se proteger do mundo externo. Com isso, fazem sempre a mesma coisa, com medo de saírem do que "já deu certo algum dia". Por outro lado, há aquelas pessoas que já são imbuídas de muita coragem e, por isso, saem dos seus trilhos, se reinventam a todo custo, sem nem mesmo se preocuparem se suas empreitadas darão certo.

Por que você comete os mesmos erros na vida?



    O que esses dois grupos de pessoas têm de diferente? Suas prisões interiores: enquanto uns vivem felizes e satisfeitos com seus resultados; outros ficam insatisfeitos e frustrados, querendo sempre mudar, mas sem saber por onde começar. Aliás, essas pessoas nem mesmo sabem que têm essa capacidade dentro delas.

    Também é muito comum que a pessoa, no início de um processo de mudança interior, ou seja, quando começa sua busca pelo desenvolvimento pessoal, comece a se conhecer e de repente descubra que não é tão forte quanto esperava e aí acha melhor não mexer nas questões e simplesmente deixá-las como estão. Hum... Se identificou? Realmente é mais fácil deixar os problemas de lado, varrer todos os nossos sonhos para debaixo do tapete, colocar outras coisas na frente como prioridade e depois criar um monte de desculpas para ser infeliz, simples assim.

    Mas a vida é tão curta para ser vivida só com desculpas, não acha? Claro que se conhecer não é nada fácil, se descobrir significa descobrir nossas falhas e, aí sim, ver onde podemos melhorar. Ou você achou que era só ficar recebendo elogios de seu analista? Sem falar que, mesmo que tenha diversos tipos de ajuda para resolver seus desafios, você como qualquer outro ser humano vai errar em algum momento. Todos nós temos vários pontos cegos e é por isso que precisamos de um excelente profissional nos acompanhando para compreendermos bem o que se passa conosco e como podemos mudar de fato.

    Sim, todos podemos mudar para melhor ou pior, basta querer e ter um foco (ou vários). Quando crescemos e nos livramos de uma angústia específica, descobrimos outros pontos em nós que podemos trabalhar e melhorar.


Identifique o seu perfil de comportamento



    Voltando a falar sobre os padrões de comportamento de pessoas que sempre se arriscam e outras que permanecem na zona de conforto, observe se você:

1. Sempre pega o mesmo caminho para sair e voltar para casa
2. Come sempre os mesmos alimentos
3. Já praticou um exercício físico diferente para descobrir se gosta
4. Já se perguntou se está com a pessoa parceira por amor ou por conformismo
5. Se continua no mesmo emprego por medo de não conseguir aquele trabalho dos seus sonhos
6. Sente que os dias e semanas passam e você não faz nada de diferente por você
7. Está esperando que os outros façam algo por você, mas não é capaz de fazer com que essa mudança aconteça para si
8. Espera que os outros sempre lhe procurem para dar amor e atenção, mas você não dá isso para eles


   
    Se você se identificou com pelo menos dois dos pontos acima, é importante entender que é preciso mudar seu comportamento, sua maneira de agir em relação a si mesmo e aos outros. Vamos lá?

Para mudar padrões de comportamento, é importante ter consciência sobre o que gera em você determinados pensamentos e atos - em relação a si mesmo ou o mundo a sua volta. Primeiro, tenha em mente uma grande vontade de mudar, de encontrar uma solução para viver mais feliz e sair dessa insatisfação que lhe segue a cada dia, pois é muito ruim viver com angústia.

   
    Depois, faça uma lista do que você quer mudar em sua vida e seja sincero consigo, pergunte sobre o que tem feito e o que pode fazer, a cada dia, para alcançar essas mudanças. Eu tenho certeza que a sua capacidade é muito maior do que o que você tem se dado no dia a dia. Então, vamos praticar a mudança que você quer ser!


Artigo publicado no site Personare:
http://www.personare.com.br/voce-criou-uma-prisao-dentro-de-si-mesmo-m7719