segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Afinal, o que elas querem: o príncipe ou o lobo mau?


Em meus atendimentos, eu tenho observado que muitas mulheres realmente não sabem o que elas querem que eles sejam... Bonzinhos ou mauzinhos – o bom moço ou o cafajeste? Aquele que a leve para o altar ou aquele que a faça suspirar e a deixe subindo pelas paredes.

Será que não há como encontrar num homem o útil e o agradável? Acredito que as mulheres numa busca frenética por prazer acabaram se esquecendo de dar valor ao caráter, ao que o homem tem de bom por dentro e assim, a estória de príncipe encantado caiu no ridículo – porque o bonzinho simplesmente está sendo visto como o bobinho, o chatinho, aquele que possivelmente não vai preencher o seu desejo de mulher... Mas será mesmo?

Também fico surpresa com mulheres que continuam ao lado de homens que não lhe dão o suporte emocional, nem estão perto de realizar seus desejos de mulher, mas estas mulheres guardam por eles um sentimento de amizade... Será que para ser um casal feliz não precisa ter algo a mais?

Surpresa mesmo, eu fico ao ver as que preferem viver numa novela mexicana atrás de seus vilões que as deixam louca o tempo todo, vivendo entre incertezas e inseguranças, numa busca incessante para conquistar o homem que não quer ser domável, que não quer entregar seus sentimentos a ninguém, pois, de fato, ele está mais é para viver o mito do herói, a lenda daqueles homens selvagens, potentes e capazes de tudo para viver a vida em carpe diem. E essas mulheres? Sofrem, choram, se desesperam e vivem nutrindo uma esperança de que um dia eles vão mudar... Mas os homens, de verdade, aqueles que não se classificam nem como príncipes nem como lobos maus, onde estão na história da vida real?

Eles estão por aí, quase transparentes para essas mulheres que estão na batalha para encontrar homens perfeitos em alguns quesitos, mas assim como elas, eles também têm seus pontos frágeis e, certamente, seus defeitinhos – claro, afinal quem é perfeito?

Será que realmente existem os príncipes e os lobos maus? Será que não estamos nos esquecendo simplesmente que existem pessoas com personalidades, sonhos e desejos distintos e assim, constroem sua identidade única?

Se o seu homem chega em casa reclamando é porque ele realmente quer encontrar em você alguém para compartilhar uma vida, que também é feita de momentos ruins, complicados e delicados. Se você sente vontade de ter um lobo mau, o que exatamente você quer deste homem? Uma máquina de prazer? E os sentimentos dele, não são importantes nem relevantes para a relação de vocês? Como você acha que você quer entrar na vida dele de fato, pela porta de trás direto para a cama ou assumindo um relacionamento que traga harmonia, aprendizagem e crescimento?

Sabe o pior de tudo isso? É o que encontramos por aí, lobo com pele de cordeiro e homens normais querendo mostrar que são de ferro, só mostrar mesmo, só querendo passar uma imagem, pois não existe ninguém que seja tão forte que não deixe entrar em si o amor pelo outro, uma paixão repentina, uma vontade de dormir agarradinho com alguém com quem quer compartilhar todos os momentos da sua vida, os bons e os ruins também.

Se você ainda não encontrou uma pessoa que queira a mesma coisa que você, o melhor é não se desesperar, pois basta saber escolher o que você quer para si e em seguida, checar se no outro há o que você quer encontrar. Com certeza opções não vão faltar, pois há muitas pessoas sozinhas em busca de um parceiro para si.

4 comentários:

  1. Lendo esse texto me perguntei: o que quer o ser humano? porque tudo o que você relatou também faz parte da realidade afetiva homossexual, as pessoas se perdem entre aquilo que vivem e o que querem de fato. Tá dificil, beijos!

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito do seu questionamento: O que quer o ser humano? Mas sou mais otimista, acredito que podemos sim descobrir como unir o que queremos e o que vivenciamos em nossas vidas. Abraços

    ResponderExcluir
  3. Quem escolhe o pai?
    A criânça não escolhe o pai.
    A criânça já nasce da mãe.
    O pai ela não escolhe.
    Então quem escolhe o pai?
    A escolha do pai é a mãe que deve fazer.

    ResponderExcluir
  4. É verdade Toninho, se a mulher pensar no que ela precisa para oferecer ao seu filho, com certeza não vai ficar na dúvida entre o príncipe e o lobo mau!

    ResponderExcluir